artigos publicados
home » artigos » Sexualidade Feminina» O início da formação desenvolvimento da sexualidade feminina
Voltar
O início da formação desenvolvimento da sexualidade feminina

 

"O início da formação"

Como primeiro assunto,vamos enfocar as diferenças entre a estruturação masculina e a feminina. Existem vários pontos de diferenciação e, podemos afirmar que a maioria são frutos de um pensamento ou visão patriarcal, onde se pretende, colocar a mulher em uma posição de inferioridade. É bastante evidente, em nossa sociedade o "machismo", atualmente um pouco abatido pelas novas posições da mulher.

Que fique bem claro, que não pretendo adotar uma posição de apoio ao " feminismo", pois tanto um como outro são extremistas e portanto conflitivos e competitivos, sempre em sentido de anular ou ofuscar, um ou outro. A mulher, é evidente, tem seus papéis sociais e pode ampliá-los, sem que para isto entre em conflito consigo própria e após com a sociedade.

Para podermos entender este aspecto, faremos algumas observações sobre as bases e estruturação, da dita personalidade feminina, para podermos através deste estudo, divisar novas ou melhores metas em função de reduzir tais expectativas. A diferenciação, começa já no primeiro ano de vida e, é transmitida já nesta época a criança. Se observamos o comportamento dos adultos em relação aos bebês, notaremos que quando se trata de um bebê masculino ele praticamente já é reforçado a valorizar seu "pênis".

Por exemplo: quando se banha um bebê masculino, não existe preocupação com os presentes, não nos preocupamos em esconder sua genitália, pelo contrário, até se brinca em relação ao seu "pipi". Quando se trata de um bebê feminino, a coisa se processa diferente. Existe então, uma preocupação excessiva em não deixar ver a sua genitália, como se "ela" ou "aquilo" fosse uma coisa "feia" ou até mesmo "suja". Fica então bastante claro que desde o início da vida, os adultos já transmitem suas fantasias ao bebê.

É como se elas, " os adultos ", temessem a sexualidade feminina e, esta é uma posição típica machista. É claro, que o bebê ainda não tem nenhuma noção sobre isto, mas este comportamento dos adultos, em relação ao fato contínua. Vejamos, quando o bebê um pouco maior, dificilmente vemos uma menina sem a calcinha, isto porque é feio".

Mas o mesmo não acontece ao menino, é bastante comum o infante desnudo. E, até acham "engraçadinho". Quantas vezes já tive oportunidade de observar um papai dizer ao menininho: " cadê o pipi do nenêm ". Mas nunca vi esta situação em relação à menina!

Então eu me pergunto, qual será o motivo ? Serão nossas dificuldades em ação, ou, o que ? Deixaremos este ponto ainda em aberto para posteriormente abordarmos mais a fundo a questão. Vejamos agora. Em relação, por exemplo, as formas de sentar-se. O garoto senta-se de qualquer maneira e ninguém se preocupa em chamar sua atenção.
Quando se trata de uma menininha, por menor que seja, já nos preocupamos quanto as suas posturas, bem no estilo: " menina não senta assim ou assado ", e estamos sempre ali "controlando" como se fosse uma coisa " horrorosa " aparecer a calcinha ou como se sua genitália fosse alguma coisa que devesse ser " anulada " de seu corpinho.

E quando a menininha, tem a "ousadia", de colocar sua mãozinha lá... Lá está o adulto, "tire a mão daí que é feio, é caca", e outras tantas qualificações que agora não me ocorrem. Não é preciso citar a diferença, quando se trata do menino. Parece que os adultos não entendem que este tocar " lá ", faz parte do processo de descobrimento de seu próprio corpo e, portanto é um procedimento " natural " que será ainda mais natural se não projetarmos nossas " fantasias " neste procedimento.

Vamos dedicar um pouco de nosso tempo para pensarmos sobre isto, mas com uma mente aberta.